15
Nov 10

Outro dia entrei num táxi, estavam todos calados, pensei to lixado hoje não vou apanhar nenhuma (hi)estória, parecia que todos estavam a  andar sozinhos  e ainda por cima o carro não tinha musica, mas isso pra mim não era problema tinha os fones ligados ao telefone de onde ouvia alguns sons, já no final da viagem uma kota rompeu o silêncio - Um jovem casal, o pai era de Luanda e a mãe de Cabinda, foram morar em Cabinda tiveram um filho e depois se separaram.

Então o marido decidiu voltar para Luanda com o filho contra vontade da mãe.

Alguns anos depois a criança estava a brincar e subitamente faleceu, o pai então teve a difícil missão de comunicar a ex mulher que duvidou e não aceitava o facto, ela dizia – Só acredito se vieres até Cabinda  pra me falar na cara. Foram muitas tentativas pra convencer a ex esposa do acontecido mas nada mudava as palavras dessa mãe incrédula – Só acredito se vieres até aqui pra me falares cara a cara. até que um dia depois do funeral o pai resolveu pôr um ponto final nessa situação e foi até lá.

- Assim que chegou em Cabinda, na casa da ex mulher  Quem estava la? - O cobrador que estava com a cabeça e um pouco do corpo pra fora do hiace através da janela pronto talvez pra chamar ou mesmo pra tomar um pouco de ar fresco voltou-se pra dentro concentrou-se na tia que vestia calça verde, eu desliguei a musica que estava a ouvir nos fones, parecia até que o candongueiro tinha parado no espaço e no tempo, até a kota de cabelos brancos e calça verde a cor da blusa não lembro devia ser vermelha pra combinar com os sapatos, rematar a (hi)estória – o filho deles!

 

publicado por beco1001 às 17:40
 O que é? |  O que é? | favorito
sinto-me: relaxado
música: segurança máxima - Dodo Miranda

13
Ago 10

 Eu como sou um grande cliente dos candongueiros de Luanda, apanho candongueiro pelo menos uma vez por dia tenho ouvido muitas (hi)estória. dizem até que um brasileiro escreveu um livro só com (hi)estórias que ouvia nos táxi, mas até agora não encontrei esse livro.

Como algumas delas são marcantes vou começar a postar aqui no beco. Estejam a vontade para subir  e ouvir as "(Hi)estórias no Candongueiro".

 

 

 

Uma moça estava a namorar um chinês mas a mãe dela não gostava e lhe avisava sempre – Esses chineses não prestam eu não te quero ver mais com eles.

Mas a filha estava cega de amores e continuava o romance com o chinoca, alguns meses depois apareceu o resultado ela estava grávida. Mas, quatro meses depois  o bebe o morreu.

No óbito a mãe então começou a lamentar – Minha filheeee!!!… eu te avisei… Hospital geral de Luanda 4 anos, um prédio 3 anos e filho de chinês 4 meses!!! OBRA DE CHINÊS NÃO DURA! OBRA DE CHINÊS NÃO DURA! OBRA DE CHINÊS NÃO DURA!!!

 

Não tenho nada contra o povo chinês, e reconheço o trabalho e a dinâmica que trouxeram ao nosso país principalmente na área de construção civil. Essa piada ouvi no candongueiro e como achei ingressada estou a postar aqui.

Quanto as obras dos chineses não têm qualidade quando quem deve, neste caso nós angolanos, fiscalizar não o fazemos como deve ser o resultado são as estradas descartáveis e o mais trágico, um Hospital que nos custou tantos milhões nem fez cinco anos e já corre risco de desabar e o pior não se ouve falar em nomes dos culpados.

 foto retirada do www.opais.co.ao

publicado por beco1001 às 11:12
 O que é? |  O que é? | favorito
sinto-me:
música: Salute - Whitney Houston

Maio 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
24
25
26
27
28

29
30
31


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

7 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO